top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Cavalhadas de Pirenópolis serão realizadas em maio

Festa tradicional ocorrerá nos dias 28, 29 e 30 no Cavalhódromo da cidade

Cavalhadas de Pirenópolis serão realizadas em maio
Cavalhadas de Pirenópolis são uma demonstração de religiosidade e cultura, além de incentivo ao turismo e à economia local - Foto: Divulgação/Secult

As populares Cavalhadas de Pirenópolis voltarão a ocorrer no Cavalhódromo da cidade nos dias 28, 29 e 30 de maio. O local estava interditado desde setembro de 2021 por causa de problemas em pontos como arquibancadas, rampas e escadas. Para que o evento seja realizado no habitual campo de batalhas, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), promoverá uma série de adequações, como a remoção de escadas e rampas de acesso que estão com as estruturas comprometidas.


“As arquibancadas também serão isoladas e o espaço terá ajustes para receber os camarotes provisórios que serão instalados no local”, adiantou a secretária interina de Estado da Cultura, Yara Nunes. Após o evento, a Secult promoverá uma reforma total no Cavalhódromo.


Ronaldo Félix, secretário de cultura de Pirenópolis, celebra a volta das Cavalhadas para o local. “A Festa do Divino possui uma integração entre todas as suas partes, as alvoradas, as procissões, o cortejo do imperador, as novenas; tudo isso acontece em locais muito próximos uns dos outros. Então, com o retorno para o Cavalhódromo, as Cavalhadas voltam a integrar esse circuito tão importante, que é a característica da Festa do Divino”, disse.


História

As Cavalhadas são celebrações que fazem parte da Festa do Divino Espírito Santo. Inspiradas nas tradições de Portugal e da Espanha na Idade Média, elas ocorrem há mais de 200 anos em Goiás, como uma demonstração de religiosidade e cultura, além de serem também um incentivo ao turismo e à economia local.


O cenário consiste em uma representação das batalhas entre cristãos e mouros que ocorreram durante a ocupação moura na Península Ibérica (século IX a século XV). São dois exércitos com 12 cavaleiros cada, que durante três dias se apresentam, encenando a luta ricamente ornada e com belíssimas coreografias. Junto a essa manifestação, há a presença dos mascarados, personagens incontáveis que se vestem com máscaras e saem às ruas, a cavalo ou a pé, fazendo algazarras.

Comments


Publicidade

Publicidade

bottom of page