top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Créditos ambientais alavancam arrecadação em Goiás e garantem avanços e fortalecimento na cadeia de reciclagem

Parcerias estratégicas transformam resíduos em recursos

A parceria entre a iniciativa privada e o poder público em Goiás e região Centro-Oeste tem sido fundamental para promover uma gestão ambiental responsável e impulsionar as taxas de reciclagem de resíduos na área. Nos últimos anos, o comprometimento com a construção de práticas sustentáveis tem sido notável, com resultados tangíveis.


Uma das protagonistas nesse cenário é a eureciclo, em conjunto com o Instituto Giro, que têm atuado no estado desde 2020. Essa parceria já resultou na compensação de mais de 20 mil toneladas de resíduos diversos até 2023, demonstrando um compromisso sólido com a causa ambiental.


No primeiro trimestre de 2024, Goiás, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e o Distrito Federal estão alinhados na previsão legal do recebimento dos Relatórios Anuais de Logística Reversa de Embalagens. Essa medida exige que empresas que comercializam e distribuem produtos em embalagens comprovem perante o poder público como estão cumprindo suas metas de reciclagem.


Em sintonia com outras regiões do país, Goiás desenvolveu um plano estadual de resíduos sólidos, reconhecendo a complexidade da temática e a necessidade de envolver diversos agentes públicos e representantes da sociedade civil.


Além disso, o estado está preparado para a execução do PLANARES (Plano Nacional de Resíduos Sólidos), que estabelece metas ambiciosas, como o encerramento de todos os lixões e um aumento significativo na recuperação de resíduos nos próximos 20 anos. O engajamento das empresas nesse contexto é fundamental, não apenas para cumprir obrigações legais, mas também como parte de um processo educacional mais amplo em prol da sustentabilidade.


No que diz respeito à fiscalização e aplicação das políticas ambientais, o comitê de logística reversa do estado, composto pelo Ministério Público goiano e pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), tem desempenhado um papel crucial. Campanhas abrangentes têm sido realizadas para garantir o envolvimento de todos os setores relevantes.


Os resultados dessa abordagem são evidentes: atualmente, Goiás conta com 94 entidades gestoras, 13.103 empresas aderentes cadastradas e 44 operadores logísticos. No entanto, as autoridades locais estão comprometidas em intensificar a fiscalização, especialmente em relação às empresas que produzem material reciclável e comercializam no estado, mas ainda não se apresentaram no sistema.


Por meio de parcerias estratégicas, como aquela estabelecida com a eureciclo, é possível mitigar os riscos para as empresas no cumprimento de suas obrigações legais e fomentar uma economia circular mais robusta. A profissionalização dos profissionais da reciclagem também é um aspecto importante desse processo, contribuindo para a inclusão social e o desenvolvimento econômico.


Jéssica Doumit, Diretora de Relações Institucionais da eureciclo e Diretora Presidente do Instituto Giro, destaca a importância desse trabalho conjunto: “Goiás tem dado passos importantes na implementação de uma cadeia de logística reversa bem distribuída por todo o estado. É preciso reconhecer o resíduo sólido reutilizável e reciclável como um bem econômico e de valor social, que gera trabalho e renda".


O promotor de Justiça de Goiás, Juliano Barros, ressalta a relevância do compromisso com a sustentabilidade: “O chamamento das empresas para cumprir a logística reversa no estado é de grande relevância e demonstra o compromisso da SEMAD e da promotoria na busca da sustentabilidade e de avanços na agenda ambiental".

Comments


Publicidade

Publicidade

bottom of page