top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Goianésia lança Agosto Lilás com adesão a Pacto Goiano pelo fim da violência contra a mulher

A campanha Agosto Lilás faz referência ao aniversário da Lei Maria da Penha

Foto: Samuel Henrique

Foram lançados na terça-feira (16/8), em Goianésia, o Agosto Lilás, movimento de conscientização pelo fim da violência contra a mulher, e o Pacto Goiano pelo Fim da Violência contra as Mulheres e Meninas, estabelecido para o triênio 2022-2024, do qual o município é signatário.


O evento, sob a liderança da primeira-dama de Goianésia e secretária municipal da Mulher, Família e Direitos Humanos, Eloá Menezes, foi na sala de reuniões da Secretaria Municipal da Educação; e contou com a participação de mulheres de vários segmentos sociais, entre elas as também secretárias municipais Luciana Otoni (Saúde) e Elisandra Carla Menezes (Educação); assessoras da vereadora Salete Carrilho, chefe da Procuradoria da Mulher, da Câmara Municipal; a coordenadora regional de Educação, Gislene Fonseca; e as delegadas Poliana Bergamo, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), e Ana Carolina Pedrotti, titular da Delegacia Municipal de Goianésia, além da assessora da Deam, Ana Paula, acompanhadas do delegado regional da 15ª Delegacia Regional de Polícia (DRP), sediada em Goianésia, Wladimir Freire; e da coordenadora da Justiça Restaurativa em Goianésia, onde acontecem os círculos de construção de paz, Alice Rayane da Cruz Moreira.


A campanha Agosto Lilás faz referência ao aniversário, neste mês, da Lei Maria da Penha, instituída pela Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Já o Pacto Goiano pelo Fim da Violência contra Mulheres e Meninas, celebrado a cada dia 25 do mês, o Dia Laranja, alerta para a urgente necessidade de prevenir e eliminar a violência contra as mulheres e meninas. Uma cor vibrante e positiva, o laranja representa, nesse contexto, um futuro livre da violência contra mulheres e meninas.

Foto: Samuel Henrique

“Esse encontro de hoje é para unir os poderes Executivo, Judiciário e Legislativo em prol do combate à violência contra a mulher”, afirmou a primeira-dama Eloá Menezes. “E vamos trabalhar, neste mês, apresentar esse pacto, cujas ações trabalharemos até o último dia da gestão do Léo [prefeito Leonardo Menezes] e espero que o sucessor e a próxima primeira-dama deem continuidade”.


São parceiros, em Goianésia, tanto da campanha Agosto Lilás quanto do Pacto Goiano, as secretarias municipais da Promoção Social, por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), e da Mulher, Família e Direitos Humanos; a Deam; e a Procuradoria da Mulher, da Câmara Municipal.


Ações

Desde a adesão de Goianésia, no fim de junho passado, ao Pacto lançado nessa terça-feira, com a assinatura do compromisso pelo prefeito Leonardo Menezes, ficou estabelecido o cumprimento, pelo município, de sete ações, algumas das quais já implementadas pelo ente político, que são:


  • implantar o Conselho Municipal de Política para a Mulher;

  • aderir ao Programa: Educação e Justiça Maria da Penha na Escola;

  • desenvolver o grupo reflexivo para autores e vítimas de violência doméstica;

  • aderir às campanhas temáticas:

  • Campanha Sinal Vermelho (X na mão); e

  • Dia Laranja (todo dia 25);

  • criar espaço humanizado – Sala lilás;

  • adotar o Maria da Penha na sua empresa, com a campanha “Você não está sozinha”; e

  • promover capacitação em plataforma EAD – Curso – Educação em Gênero.


O trabalho em rede, visando unir os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, visa à redução, no estado, dos índices de violência contra as mulheres, o objetivo geral do Pacto.


Durante o lançamento do Pacto e do Agosto Lilás, nessa terça-feira, a secretária municipal e primeira-dama Eloá Menezes ainda elencou os serviços já ofertados pelo município, com vistas à redução dessa modalidade de violência. Ela apontou ações das secretarias municipais da Promoção Social, por meio do Creas; e da Mulher, Família e Direitos Humanos; o trabalho da Deam; a Procuradoria da Mulher, da Câmara Municipal; e a Patrulha Maria da Penha.


“Ao procurar um destes órgãos, a vítima terá todo apoio necessário, sendo orientada de acordo com sua necessidade e realidade, para buscar de reconciliação, através da Justiça Restaurativa (Trilhando a paz), ofertas de cursos profissionalizantes; e abrigo, em caso de risco de morte”, explicou Eloá Menezes, lembrando, ainda, a existência, em Goianésia, da Patrulha Maria da Penha, da Polícia Militar.


Paradigma

A delegada titular da Deam em Goianésia, Poliana Bergamo, ressaltou a importância do Pacto Goiano pelo fim da Violência contra a Mulher, destacando não apenas necessárias as ações propostas, como reforçando ser esse o caminho, que se une a ações já praticadas no âmbito do município de Goianésia, dentre elas o Concurso de Redação Violência contra a Mulher e a Lei Maria da Penha, idealizado e realizado por ela. O certame chega à 5ª edição neste ano, depois do hiato de dois anos, por causa da pandemia do coronavírus.

Foto: Samuel Henrique

Para Poliana Bergamo, a violência doméstica contra a mulher é questão cultural, fruto do machismo, do patriarcalismo, valores históricos ainda impregnados em nossa sociedade. “Daí a importância de todos esses projetos que nós já elencamos no combate à violência doméstica, a fim de conseguirmos ter uma transformação, uma mudança cultural, pois só com mudança cultural nós vamos ter a desejada redução dos números”, apontou a delegada, que também é pesquisadora do tema.

Commenti


Publicidade

Publicidade