top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Mais de 500 mil famílias recebem descontos na conta de energia em Goiás

Sobe de 13% para 17% o percentual de consumidores residenciais com descontos que podem chegar à 65% na conta de energia; Ainda há 455 mil clientes na concessão que podem ser beneficiados

Mais de 500 mil famílias recebem descontos na conta de energia em Goiás
Foto: Divulgação/Equatorial Goiás

A Equatorial Goiás, concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica em 237 municípios do estado, anunciou recentemente que mais de 500 mil famílias se beneficiaram da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) desde dezembro de 2022. Essa tarifa oferece descontos de até 65% na conta de energia para famílias de baixa renda e grupos específicos, representando um aumento notável na adesão a esse programa de auxílio.


De acordo com a Equatorial Goiás, o número exato de clientes inscritos na TSEE atingiu a marca de 502.000 consumidores, o que representa um aumento significativo de 35% na base de clientes com esse benefício, equivalente a aproximadamente 132 mil novos inscritos desde dezembro do ano passado.


O Superintendente Comercial da Equatorial Goiás, Roosevelt Cantanhede, ressalta a importância desse marco, afirmando: "Esta marca é importante para Equatorial Goiás, uma vez que conseguimos elevar de 13% para 17% o percentual da quantidade de consumidores com TSEE em relação ao total de clientes residenciais atendidos pela empresa (cerca de 3 milhões). A ideia, claro, é que esta participação seja ainda maior nos meses seguintes."


A Tarifa Social de Energia Elétrica visa beneficiar inscritos no Cadastro Único do Governo Federal com renda mensal por pessoa de até ½ salário-mínimo, quilombolas, indígenas, pessoas que recebam o Benefício da Prestação Continuada (BPC) ou com renda familiar mensal de até três salários-mínimos, com membros acometidos de doença ou patologia que necessitam do uso continuado de aparelhos ou equipamentos elétricos em domicílio.


No entanto, a Equatorial Goiás alerta que ainda há muitas pessoas que podem ser elegíveis para receber o desconto, mas nunca se cadastraram junto à companhia de energia. O potencial é de inscrever mais 455 mil famílias na Tarifa Social de Energia Elétrica, e a empresa encoraja aqueles que se enquadram nos critérios a atualizar seus cadastros a cada dois anos nos Centros de Referência à Assistência Social (CRAS) das Prefeituras.


As cidades de Goiânia, Águas Lindas de Goiás, Aparecida de Goiânia, Luziânia, Rio Verde, Formosa, Anápolis, Senador Canedo, Novo Gama e Valparaíso de Goiás lideram a lista de municípios com o maior número de clientes aptos e não inscritos na TSEE.


A inclusão de famílias com essas características na TSEE não apenas alivia o custo da energia elétrica, mas também proporciona a oportunidade de direcionar recursos do orçamento pessoal para outras necessidades, como alimentação e saúde. A previsão é de que esse aumento injete R$ 120 milhões na economia dos municípios goianos durante o ano de 2023.


Como se cadastrar

Para os interessados em se cadastrar na TSEE, é importante verificar se na parte de cima da conta de energia, no espaço Dados da Unidade Consumidora, o campo Classe/Subclasse está preenchido com: Resid. Bx. Renda. Se não estiver, o cliente deve atender a uma das seguintes condições:

  • Ser inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com renda familiar mensal, por pessoa, menor ou igual a meio salário mínimo nacional;

  • Ser idoso com 65 anos ou mais ou pessoa com deficiência, que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC);

  • Ser inscrito no CadÚnico com renda mensal de até três salários mínimos, que tenha membro portador de doença ou deficiência;

  • Ser indígena ou quilombola.

Os descontos na Tarifa Social de Energia Elétrica variam de acordo com o consumo:

  • Para consumos até 30 quilowatts/hora, a redução é de 65%;

  • De 31 a 100 kWh/mês, o valor fica 40% menor;

  • De 101 kWh a 220 kWh, a redução é de 10%;

  • Acima dos 220 kWh/mês, o custo da energia é o mesmo dos consumidores que não recebem o benefício.

Famílias indígenas e quilombolas têm descontos ainda maiores, com reduções de até 100% para consumos de até 50 kWh/mês.

Comments


Publicidade

Publicidade

bottom of page