top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

"Números são bons e garantem melhor humor na condução dos negócios", avalia Fieg


"Números são bons e garantem melhor humor na condução dos negócios", avalia Fieg
Foto: Divulgação/Fieg

O Banco Central do Brasil divulgou, nesta segunda-feira (26/9), Boletim Focus atualizado com previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e redução da expectativa de inflação. A projeção de alta do PIB subiu de 2,65% para 2,67% neste ano, enquanto espera-se que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) feche 2022 em 5,88%. Antes, a inflação prevista era de 6% ao ano.


"No geral, são números bons e que garantem um melhor humor na condução dos negócios", avaliou o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, que destacou ainda as perspectivas econômicas para 2023, também de crescimento do PIB e de arrefecimento da inflação.


"Trata-se de um desdobramento direto da redução das alíquotas do ICMS sobre combustíveis e energia elétrica, mas que gera efeito cascata ao reduzir o custo de produção de outros produtos. Inclusive, melhorando as expectativas para os próximos meses", explicou.


O Boletim Focus apontou ainda projeções sobre câmbio e juros. A cotação do dólar, estável há oito semanas, deve manter-se na casa dos R$ 5,20 para 2022 e 2023. Quanto à Selic, a taxa básica de juros deve fechar o ano em 13,75%, com expectativa de redução para 11,25% ao ano em 2023.


"Apesar da expectativa de redução de juros para o próximo ano, a Selic ainda é muito alta. Isso encarece o crédito e prejudica novos investimentos na indústria, comprometendo o crescimento e a geração de empregos no setor", sustentou Sandro Mabel.

Comments


Publicidade

Publicidade

bottom of page