top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Na Fieg, Aneel detalha leilão da linha Graça Aranha-Silvânia

Reunião, articulada pelo Coinfra, contou com presença do diretor da agência Ricardo Tili. Expectativa é de que leilão do primeiro corredor expresso ocorra no final de outubro

Na Fieg, Aneel detalha leilão da linha Graça Aranha-Silvânia
Foto: Divulgação/Fieg

O presidente do Conselho Temático de Infraestrutura (Coinfra) da Fieg, Célio Eustáquio de Moura, recebeu quinta-feira (27/4), na Casa da Indústria, o diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) Ricardo Tili para tratar sobre implantação da linha de transmissão em corrente contínua Graça Aranha–Silvânia (Bipolo HVDC ±800 kV), que possui 1.575 quilômetros de extensão somente em Goiás. O encontro foi acompanhado pelo superintendente adjunto da Aneel, Renato Braga de Lima Guedes, e o assessor Reinaldo da Cruz Garcia.


Objeto de consulta pública até 2 de maio, a minuta do edital do leilão do 1º Corredor Expresso da linha Graça Aranha-Silvânia, previsto para ocorrer em 31 de outubro, deve mobilizar investimentos totais na ordem de R$ 20 bilhões. O certame será o maior já realizado em termos de investimentos na rede básica, somando mais de 3 mil quilômetros de linhas de transmissão novas e seccionamentos nos Estados do Maranhão, Piauí e de Goiás, com ganhos econômicos e sociais para toda a região.


Dividido em três lotes com nove empreendimentos, o leilão vai ampliar a capacidade de escoamento da energia produzida no Nordeste por usinas eólicas e fotovoltaicas para os centros de carga no sudeste do País. O primeiro lote representa 81% do investimento, com R$ 15,9 bilhões, e tem prazo máximo de instalação de 72 meses.


Em Goiás, serão 500 quilômetros em linhas de transmissão, mobilizando pouco mais de um terço dos investimentos estimados na primeira etapa, com R$ 5,89 bilhões. "É um trabalho que tem tudo para fomentar e aprimorar a indústria de energia em Goiás", afirmou Ricardo Tili.


O diretor da Aneel destacou ainda que as obras têm desdobramentos econômicos expressivos em Goiás, impactando diretamente na contratação de mão de obra para o setor.


O presidente do Coinfra-Fieg, Célio Eustáquio de Moura, destacou que o leilão é uma oportunidade para empresários industriais do segmento participarem das obras como fornecedores de soluções. "Abre perspectivas para o aquecimento do mercado, com novas contratações e investimentos."


A reunião foi acompanhada pelo superintendente da Fieg, Lenner Rocha, e pelos empresários Luciano Fonseca (Dolp Engenharia), Rodrigo Cesar Silva (Elcop Engenharia), Edson Rezende da Mota (Naenge Engenharia) e João Victor Castro (MW Projetos e Construções), associados ao Sindicato da Indústria da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica no Estado de Goiás (Sindcel), além do assessor técnico do Coinfra, Leandro Gondim.

Comments


Publicidade

Publicidade

bottom of page