top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Padre Adeenes fala em missão, na Missa de Ação de Graças pelos 69 anos de Goianésia

O prefeito Leonardo Menezes foi representado por sua mãe, dona Iracilda Menezes

Padre Adeenes fala em missão, na Missa de Ação de Graças pelos 69 anos de Goianésia
Foto: Samuel Henrique/Ascom/Goianésia

Realizada na noite desse domingo (26/6), na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, a Missa de Ação de Graças pelo aniversário de 69 anos de emancipação político-administrativa de Goianésia, celebrada pelo padre José Adeenes Ribeiro, que falou ser “missão” a gestão da coisa pública.


A celebração marcou também o encerramento da Novena do Sagrado Coração de Jesus e a escolha dos festeiros para a festa de 2023. Durante a missa, o padre José Adeenes agradeceu aos festeiros da Novena deste ano. “Quantas bênçãos, quanta alegria, dias intensos celebrados, atividades diversas”, elogiou, na homilia.


“Creio plenamente que nossa vivência desses dias tem resplandecido em nossa cidade o reflexo do amor divino, da unidade, da solidariedade, da fraterna comunhão. Muitas pessoas expressaram assim: ‘Padre, mas que festa bonita!’; ‘Que festa boa!’; ‘Que novena abençoada’. Louvado seja Deus, continuemos assim”, prosseguiu o pároco, pedindo “que não nos faltem ações semelhantes ao coração de Jesus, que é manso, humilde e simples, e faz do nosso coração um coração semelhante ao dEle”.


Missão

Ainda na homilia, o padre José Adeenes manifestou a sua alegria e da paróquia pela acolhida dos servidores da prefeitura e das autoridades municipais, em razão da gratidão a Deus pelo aniversário de Goianésia. Uma tradição local, a Missa de Ação de Graças consta da programação oficial do aniversário do município.


“Eu digo, assim, com alegria: é bom dizer isso para vocês que administram a coisa pública, é bom dizer isso: trabalha pelo bem comum. Têm trabalhado bem, têm feito muitas cosias boas na nossa cidade, graças a Deus, louvado seja Deus por isso”, afirmou o padre.


“Disseram que não se pode elogiar quem cuida da coisa pública. Pelo amor de Deus, escutem, saiam daqui e façam de conta que eu não falei nada, esses elogios, não”, disse o padre, que orientou aos gestores municipais:


“Voltem para lá e continuem fazendo melhor ainda, continuem trabalhando arduamente, continuem colocando aquilo que vocês anseiam dar: para o bem comum. É isso o que é necessário diante da, entendam, missão. É coisa pública. Não é nossa, não. É missão. Por traz dessa realidade administrativa, existe missão, e toda missão que nos é confiada precisa ser realizada com sabedoria, com dedicação, com respeito, com fidelidade”, pontuou José Adeenes, que se lembrou de ter ministrado bênçãos, no primeiro dia desta nova administração, quando já falava sobre isso: “a necessidade de viver com fidelidade, administrar com fidelidade”.


O religioso, a quem o vereador Edvam da Costa Silva (MDB) propôs, na Câmara Municipal, a outorga do título de Cidadão Goianesiense, ainda não entregue, frisou: “Aqui nós estamos para construirmos juntos, para colaborar como aquilo que é necessário para o bem-comum. E dentro dessa perspectiva, queridos irmãos e irmãs, quero lembrar-lhes: a política, como serviço, ela deve abrir caminhos para o povo, de forma organizada poder se expressar, colaborar, e essa deve ser uma política não só para o povo, mas com o povo, essa política com o povo que dá a oportunidade de desenvolver políticas públicas que vão ao encontro de todas as realidades da vida de uma comunidade. Não deixem isso passar despercebido!”


O padre encerrou dizendo que, “como sociedade, nós não precisamos nem de populismos nem de paternalismos, mas de política séria, desenvolvida com sabedoria, com criatividade, com responsabilidade”. “Essas outras coisas não são necessárias, não. Administrar bem aquilo que é de todos. Assim nós teremos um povo, e parte desse povo aqui está, também protagonista do bem-comum, protagonista de uma sociedade melhor, mais justa, fraterna e solidária”, lecionou o padre José Adeenes, citando ensinamento do Papa Francisco, líder da Igreja, para quem, “quando o povo é descartado, ele é privado não só do bem material, mas também da dignidade de agir, de ser protagonista de uma história, do seu destino, de expressar com os seus valores, sua cultura, sua criatividade, sua fecundidade.”


“Que essa administração cresça cada vez mais e lembrando sempre: fazer parcerias com as instituições”, afirmou o pároco do Sagrado Coração de Jesus, que ainda fez apelo pela vida, contra o aborto e a cultura de morte, citando o filósofo grego Sêneca (4 a.C-65); e pregou contra as ideologias, principalmente a de gênero.


Presenças

Além de dona Iracilda, a mãe do prefeito Leonardo Menezes, que o representou na missa, participaram o presidente da Câmara Municipal, vereador Fábio da Enigma; os secretários municipais Wilian Teófilo (Cultura e Turismo); Tarcísio Lima (Esporte, Juventude e Lazer); Frederico Sacchis (Planejamento); o procurador jurídico do município, Dr. Nedson Ferreira – e suas respectivas esposas; da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, também, o diretor e curador do Museu Histórico de Goianésia Mário Augusto Alves, José Costa; a diretora de Eventos Culturais, Lorrane Silva; e o coordenador de Oficinas, Odair Martins; ainda, o diretor de Comunicação da prefeitura, Cleverson Júnior; a coordenadora regional de Educação, Gislene Fonseca; o ex-prefeito Renato de Castro, sua esposa, Igara de Castro, e sua mãe, dona Lizeti Rodrigues de Menezes e Castro; e fiéis da Igreja.

Foto: Samuel Henrique

Ao fim de celebração, todos, chamados pelo padre, cantaram os parabéns a você, para Goianésia e para uma fiel aniversariante do dia.


Depois da Missa, a parte social da Novena do Sagrado Coração de Jesus, com as barraquinhas montadas na Travessa Onofra Batista Arantes, em frente a paróquia, com a participação dos fiéis e da comunidade.

Comments


Publicidade

Publicidade