top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Caiado pede impeachment de desembargador que se manifestou contra a Polícia Militar

Desembargador propõe extinção da PM e gera polêmica

Caiado pede impeachment de desembargador que se manifestou contra a Polícia Militar de Goiás
Governador Ronaldo Caiado e desembargador Adriano Roberto Linhares - Foto: Reprodução/Rede Social

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, fez um pedido de impeachment do desembargador Adriano Roberto Linhares Camargo, após polêmicas declarações durante uma sessão de julgamento no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO). O desembargador se posicionou contra a Polícia Militar do estado e sugeriu a extinção da corporação, declarações que geraram grande repercussão nas redes sociais.


Durante a sessão de Julgamento da Seção Criminal do TJGO na manhã de quarta-feira (1º/11), o desembargador Camargo fez declarações que causaram polêmicas. Ele argumentou que a Polícia Militar deveria ser extinta e substituída por uma forma diferente de atuar na investigação e repressão ao crime.


As declarações do desembargador Adriano Roberto Linhares Camargo viralizaram nas redes sociais, provocando reações diversas na sociedade goiana. A fala polêmica do desembargador, durante a sessão de julgamento, foi a seguinte: "Para mim, tem que acabar a Polícia Militar", e prosseguiu, destacando: "Os jornais noticiam grande quantidade de confrontos com a PM em que nenhum policial leva um tiro e morrem quatro, cinco, seis civis."

O governador Ronaldo Caiado, que estava em viagem à China para estabelecer acordos comerciais, não deixou de se manifestar sobre o assunto. Em um vídeo gravado, Caiado expressou sua forte desaprovação às declarações do desembargador.


"Nós temos na Constituição a criação da Polícia Militar, uma instituição fundamental para garantir o Estado Democrático de Direito", afirmou Caiado, dirigindo-se diretamente ao desembargador Camargo. O governador enfatizou que pedir a extinção da Polícia Militar é atentar contra o próprio Estado Democrático de Direito. Ele levantou a possibilidade de o desembargador estar influenciado por "outras forças do crime em nosso Estado de Goiás" e pediu que as declarações de Camargo sejam avaliadas pelo Conselho de Ética do Tribunal de Justiça.


Ronaldo Caiado também enfatizou que a atitude do desembargador merece uma análise aprofundada e que o Conselho de Ética do TJGO deve considerar o impeachment de Adriano Roberto Linhares Camargo. "Não tem a qualificação mínima para ser desembargador do Estado de Goiás", afirmou o governador.


Comments


Publicidade

Publicidade

bottom of page