top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Fieg promove missão prospectiva a Israel

Programação é acompanhada por 45 empresários industriais e prioriza visitas técnicas a universidades, incubadoras, indústrias, startups e grandes obras de infraestrutura

Fieg promove missão prospectiva a Israel
Comitiva da Fieg em Israel - Foto: Divulgação/Fieg

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), em parceria com o Sebrae Goiás, lidera até 13 de setembro missão prospectiva a Israel. A comitiva, chefiada pelo presidente da Fieg e dos Conselhos Regionais do Sesi e Senai, Sandro Mabel, tem participação de 45 integrantes, que acompanham visitas técnicas a universidades, incubadoras, indústrias, startups e grandes obras de infraestrutura, além de reunirem-se com representantes de agências de promoção de negócios. A programação prioriza os temas Indústria 4.0 e Networking Internacional, buscando aproximar empresários do ecossistema de tecnologia de Israel, considerado um dos mais avançados do mundo na área de ciência e inovação.


"Tenho certeza de que voltaremos com muito conhecimento para aplicar em Goiás. Nossa comitiva da Fieg, do Sesi, Senai e IEL, em parceria com o Sebrae Goiás, já esteve no Technion (Instituto de Tecnologia de Israel), em Haifa, que está entre as dez melhores universidades de pesquisa em ciência e tecnologia do mundo. Sem dúvida, uma experiência formidável que vai gerar bons frutos para o Sistema Indústria em Goiás", afirmou Sandro Mabel. Fundado em 1924, o Technion é a universidade mais antiga de Israel e dedica-se ao desenvolvimento de capital humano e liderança para avanço do Estado israelense e de toda a humanidade.


O presidente do Conselho Temático de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (CDTI) da Fieg, Heribaldo Egídio, destacou que a visita é uma oportunidade aos empresários de fazer uma imersão em ciência, tecnologia e inovação. "Uma experiência única, de grande aprendizado, onde podemos levar para Goiás lições a serem implementadas em parceria com a academia."

Visita ao Technion Institute - Foto: Divulgação/Fieg

Na segunda-feira (05/09), a delegação da Fieg também realizou visita técnica às instalações do Sammy Ofer Fortified Underground Emergency Hospital, conhecido como Rambam Hospital, em Haifa, Israel. A instituição atrai centenas de turistas e profissionais médicos de todo o mundo. Projetado com base nas lições aprendidas na Segunda Guerra do Líbano, quando 60 foguetes caíram em um raio de 800 metros ao redor de Rambam, um estacionamento subterrâneo de três níveis para 1.500 veículos se converte em um hospital completo, com dois mil leitos, em 72 horas.


O diretor de Educação e Tecnologia do Sesi e Senai Goiás, Claudemir Bonatto, que acompanha a missão prospectiva, destacou a parceria com a academia para construção de soluções e inovações na área de saúde. "Um mega hospital, com alta tecnologia empregada e que tem parceria com o Instituto Technion para desenvolver e aperfeiçoar a medicina, em especial, o tratamento de feridos de guerra", explicou.

Visita ao Rambam Hospital - Foto: Divulgação/Fieg

A comitiva da Fieg esteve ainda nos assentamentos de Emek Hef, local que produz energia verde a partir do esterco de 8 mil vacas leiteiras e capaz de fornecer energia a uma cidade com 200 mil habitantes. O vice-presidente da Fieg André Rocha destacou o aprendizado que os empresários goianos estão tendo com as visitas técnicas.


"Israel tem uma cultura de superação não só em função de guerras, mas também canalizando esforços para superar a escassez de recursos naturais, aproveitando todo tipo de resíduos para transformar em água e gás, com capacidade, tecnologia e inovação, dando exemplo para todos nós brasileiros", sustentou, ao ressaltar que o país, apesar de ter a energia fóssil como principal fonte, já caminha para mudar essa matriz energética para a renovável.


"Muito mais que utilizar a energia alternativa, Israel dá fim ao lixo, preocupando-se com o impacto ambiental. É um país pequeno, que não tem onde descartar os dejetos, e que utiliza da máxima de Lavoisier, transformando dejetos em energia e em água para irrigação. Trata-se de um modelo para o mundo. Precisamos levar essa preocupação e eficiência para o Brasil", salientou André.


Nesta terça-feira (06/09), a programação da missão prospectiva contemplou visita a Netafim Drip Irrigation, fabricante israelense de equipamentos de irrigação instalada no kibutz Magal. A empresa produz gotejadores, tubos gotejadores, aspersores e microemissores, além de distribuir tecnologias de gerenciamento de safra, incluindo sistemas de monitoramento e controle, sistemas de dosagem e software de gestão de safra, bem como uma variedade de serviços, incluindo irrigação gerenciada, assessoria agronômica e operação e manutenção.


O presidente do Sindicato das Indústrias de Calcário, Cal e Derivados no Estado de Goiás, Tocantins e DF (Sincal), Nilo Gomes, exaltou a preocupação da iniciativa em levar pacotes tecnológicos para regiões com pouco poder aquisitivo. "O exemplo de levar irrigação com gravidade, por meio de sistema de elevação, e irrigação por gotejamento trazem um grande aprendizado para nós sobre o uso da tecnologia."


A delegação goiana esteve também na Casa Brasil Israel, iniciativa da ApexBrasil que promove a imagem do País no exterior para impulsionar as exportações e atrair investimentos. Em parceria com a Embaixada do Brasil em Tel Aviv, o local reúne empresas brasileiras que apresentam produtos de alta qualidade e competitivos para o mercado israelense nos setores de alimentos e bebidas, agronegócio, casa e construção, tecnologia, jogos eletrônicos, moda e economia criativa. A comitiva foi recebida pelo embaixador brasileiro Gerson Menandro Garcia de Freitas.


Na oportunidade, o presidente da Fieg, Sandro Mabel, apresentou um pouco do trabalho realizado pelo Sistema Indústria em Goiás e pelos sindicatos da base industrial, além de compartilhar as potencialidades e diferenciais competitivos do Estado na área industrial e na alta capacidade de qualificação de mão de obra para diversos setores.


"O importante para os investidores é saber se o Estado tem duas coisas: infraestrutura e educação. Nesse sentido, por meio do Sesi e Senai, a Fieg conta com escolas modernas, com aplicação de bastante tecnologia. Nos próximos três anos, estamos investindo mais de meio bilhão de reais em educação para formar jovens e trabalhadores para a Indústria 4.0. Temos muitas fronteiras para desenvolver", frisou Sandro Mabel.


Para os próximos dias, estão programadas visitas técnicas a projetos e empresas que trabalham soluções ambientais no setor de água e desenvolvimento da agricultura e a incubadoras com soluções tecnológicas e desenvolvimento de novos produtos, além de instituições de pesquisa e a iniciativas de transformação digital em espaços públicos para incremento da infraestrutura.


Commenti


Publicidade

Publicidade

bottom of page