top of page
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco
  • X
  • TikTok

Palácio Conde dos Arcos passará por obras emergenciais na cidade de Goiás

A unidade sofreu um abalo estrutural que afetou colunas e paredes

Foto: Leo Iran

O Museu Palácio Conde dos Arcos, localizado na cidade de Goiás, sofreu um abalo estrutural que afetou colunas e paredes, principalmente dos aposentos da ala residencial. O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), liberou mais de R$ 265 mil para a reforma emergencial.


O contrato com a empresa que irá executar as obras e serviços de engenharia foi assinado e publicado no suplemento do Diário Oficial de terça-feira (12/04). O documento foi feito através de um procedimento aquisitivo, seguindo as normas da Lei nº 8.666/93 e Lei nº 17.928/12. Os trabalhos devem começar na próxima semana.


Após a realização da obra emergencial, o Palácio-Museu passará por uma restauração completa. A Secult já liberou R$ 6 milhões para a revitalização do edifício e o processo licitatório já foi iniciado.


História

Sede do Governo de Goiás por mais de 180 anos, o Palácio Conde dos Arcos é parte essencial da história do Estado. Ele começou a ser construído em 1751, em estilo barroco, para ser a residência do primeiro governador da capitania de Goiás, Dom Marcos de Noronha (conhecido como Conde dos Arcos).


No entanto, com a mudança da capital para Goiânia, em 1937, o prédio passou a abrigar a prefeitura da cidade. Mas em 1961, no governo de Mauro Borges Teixeira, o local foi transformado em monumento histórico e residência de inverno dos governadores.


Projeto Fé, Religiosidade e Devoção

Em 2022, o Governo de Goiás irá investir 33 milhões na revitalização, musealização e restauro de cinco unidades culturais e nove igrejas. O objetivo é manter, preservar e promover a cultura goiana.


As unidades que serão restauradas são: Museu Palácio Conde dos Arcos, Centro Cultural Marietta Telles, Museu Ferroviário de Pires do Rio, Museu Zoroastro Artiaga e Teatro Goiânia.


As igrejas contempladas no projeto são: Nosso Senhor do Bonfim (Pirenópolis), Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Jaraguá), Igreja de São José (Mossâmedes), Igreja de São João Batista (Arraial de Ferreiro – Goiás), Igreja de Santa Bárbara (Goiás) , Igreja de Nossa Senhora Aparecida ( Povoado das Areias – Goiás), Igreja Nossa Senhora do Rosário (Luziânia), Igreja Nossa Senhora Aparecida (Aparecida de Goiânia) e Igreja Nosso Senhor do Bonfim (Silvânia).

Comentários


Publicidade

Publicidade

bottom of page